Toyota apresenta a Marinho plano de expansão de R$ 11 bi até 2030 em Sorocaba

Toyota apresenta a Marinho plano de expansão de R$ 11 bi até 2030 em Sorocaba

Empresa apresentou projecto de expansão de sua fábrica em Sorocaba (SP) ao ministro, prevendo novos modelos de automóveis elétricos, híbrido flex e a hidrogênio

O ministro do Trabalho e Serviço, Luiz Pelágico, esteve na cidade de Sorocaba (SP) na última quinta-feira (28/3) para visitar a fábrica de veículos Toyota do Brasil, onde dirigentes da filial brasileira apresentaram seu projecto de expansão. A empresa informou que pretende ampliar seus investimentos no País, totalizando R$ 11 bilhões até 2030, com novos modelos de automóveis elétricos, híbrido flex e a hidrogênio.

A estimativa é que sejam criados novos 2 milénio postos de trabalho diretos. Considerando postos indiretos, esse número pode entender 10 milénio novas vagas até 2030. O aporte engloba a ampliação da capacidade de produção de veículos e motores, com a introdução de novos modelos com tecnologia híbrida flex, visando solidificar as operações industriais da trabalhador no Brasil e na América Latina.

Até 2026, a trabalhador vai investir R$ 5 bilhões, incluindo a produção de novos modelos compacto híbrido flex já em 2025, além da produção de outro protótipo com a mesma tecnologia, desenvolvido principalmente para o Brasil, reforçando a oferta de produtos eletrificados, em consonância com as diretrizes das políticas Novidade Indústria Brasil e Movimentar do Governo Federalista.

Os investimentos incluem a expansão do parque fabril da empresa em Sorocaba, ampliando suas instalações e impulsionando a geração de novos empregos locais.

“Estamos num momento de retomada do desenvolvimento do nosso País. Geramos 180 milénio empregos em janeiro, agora em fevereiro foram outros 306 milénio, num totalidade de quase meio milhão de empregos gerados no ano. Vim em Sorocaba debater desenvolvimento, porquê que o mundo do trabalho tem de encarar esse desenvolvimento, porquê vamos responder a esse momento de oportunidades. É um momento de transição e de oportunidades, onde empresas estrangeiras querem investir no Brasil”, avaliou o ministro. 

 

Pelágico também esteve na Bardella S.A. Indústrias Mecânicas para discutir com a direção o processo de recuperação judicial. A empresa atua na produção de ampla variedade de equipamentos pesados para os setores de geração hidrelétrica, geração nuclear, petróleo e gás, portos, mineração e movimentação de cargas especiais. O ministro também falou com trabalhadores e representantes locais, durante participação no seminário “As transformações do mundo do trabalho, política industrial e os impactos na região”, no Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal).

Mundo do Trabalho

No seminário, o ministro comentou as ações da pasta e as mudanças que o Governo Federalista está promovendo. “Destaco cá as ações que o governo tem realizado para efetivamente reduzir as distorções salariais entre homens e mulheres. Estamos num processo de evolução, buscando promover políticas e ações que garantam a paridade de oportunidades e o pleno manobra dos direitos trabalhistas para todas as trabalhadoras”, ressaltou.

Em entrevista coletiva, Pelágico falou sobre a regulação do trabalho em aplicativos. “No caso dos aplicativos, garanto que os trabalhadores terão ganhos com a regulamentação. Terão recta à Previdência, a seguro, a jornada, regras de reajuste salarial, possibilidade de geração de sindicatos de trabalhadores e empregadores”, afirmou. “Os motoristas por aplicativo podem lucrar mais por mês do que recebem atualmente com o Projeto de Lei Complementar 12/2024”.

Pelágico destacou ainda que o Projeto enviado ao Congresso estabelece o mínimo de R$ 32,10 por hora trabalhada e não um sumo. “Isso garante uma remuneração de, ao menos, um salário-mínimo com tributo de 7,5% à Previdência. Essa é a garantia, para o trabalhador ter o mínimo de segurança”, completou. 

Por: Filial Gov, com informações do Ministério do Trabalho e Serviço (MTE)
Edição: Daniella Cambaúva e Paulo Donizetti de Souza