“Precisamos garantir nossos jovens vivos e permitir que eles contribuam para o desenvolvimento do País”, diz ministra Anielle

“Precisamos garantir nossos jovens vivos e permitir que eles contribuam para o desenvolvimento do País”, diz ministra Anielle

Com o Ginásio Regional da Ceilândia lotado em sua capacidade máxima, o Projecto Juventude Negra Viva foi lançado em contexto pátrio, nesta quinta-feira (21/3). Na cerimônia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Ministra Anielle Franco assinaram a portaria ministerial de regulamentação do decreto que institui o maior pacote de políticas públicas para a juventude negra da história do país.

Anunciaram ainda o lançamento de um conjunto de editais do Ministério da Paridade Racial no valor de R$ 6 milhões para as áreas de empreendedorismo e coletivos de jovens negros, capoeira, juventude de terreiro e rodeio pátrio de guerra de rima.

Também foi anunciada a publicação de outro edital do MIR junto com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, no valor de R$ 3 milhões a serem destinados a organizações de juventude negra que atuam na política de contenção de danos pelo uso de drogas.

Emocionada, a ministra Anielle Franco afirmou em seu exposição que a entrega dos editais e do PJNV é uma resposta social, política e econômica que representa a resguardo da vida da juventude negra brasílico e convocou os jovens presentes a se comprometerem com o protagonismo de suas vidas. “A gente precisa prometer nossos jovens vivos e permitir que eles sigam contribuindo para o desenvolvimento desse país. Juventude Negra Viva, hoje e sempre”, destaca.

O presidente Lula afirmou que o Projecto Juventude Negra Viva, por seu caráter transversal, é também responsabilidade de cada um dos ministros, independente da pasta, e solicitou todos divulguem o Projecto por todo o Brasil para que mais pessoas o conheçam. “O programa é do Governo e portanto de todos. Quero que os ministros espalhem o PJNV em cada quina desse País”, disse.

Leia também

• Projecto Juventude Negra Viva investirá R$ 665 milhões em políticas públicas

• Leia o documento e saiba mais sobre o Plano Juventude Negra Viva.

Lula também destacou dados estatísticos que apontam que pessoas negras enfrentam agressões em razão de sua cor de pele e relembrou o caso de racismo sofrido continuamente com o jogador do Real Madrid, Vinicius Júnior. “A gente está vendo um ser humano que tem coração, que tem sentimento e que quer viver dignamente e por isso precisa ser respeitado”, pontua.

O presidente da República disse ainda que há um longo caminho para percorrer, mas encorajou os jovens a não desistirem da política. “Seja o político que você acha que o Brasil precisa”, aconselha.

Já o ministro-chefe da Secretaria-Universal da presidência da República, Márcio Macêdo, traçou uma risco histórica e política do projecto, partindo da primeira Conferência Pátrio da Juventude ocorrida em 2008 com o lançamento do Projecto Juventude Negra Viva porquê um marco dos compromissos do governo Lula assumidos em campanha. “Voltamos para instituir a política de investimentos no combate ao racismo e produzir o Ministério da Paridade Racial”, ressalta.

Estiveram presentes as ministras Margareth Menezes, Marina Silva, Luciana Santos, Sônia Guajajara, os ministros Márcio Macedo, Silvio Almeida, Wellington Dias, o Secretário Pátrio da Juventude, Ronald Sorriso, as deputadas federais Benedita da Silva e Talíria Petrone; os deputados Valmir Assunção, Pastor Henrique Vieira, Max Maciel, Fábio Félix, Chico Vigilante, representantes de governadores de diversos estados brasileiros e de movimentos estudantis e sociais.

Na ocasião foi assinado ainda um conformidade de cooperação para implementação de agentes territoriais no contexto do PJNV, no valor de três milhões de reais com a representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil (UNFPA), Florbela Fernandes.

O projecto terá duração de 12 anos e, neste período, será renovado a cada quatro anos.

Acesse o plano aqui.

Por: Ministério da Paridade Racial (MIR)