Mulheres são protagonistas do Bolsa Família, com 83,4% dos benefícios em seus nomes

Mulheres são protagonistas do Bolsa Família, com 83,4% dos benefícios em seus nomes

 

Em março, mês devotado à celebração do Dia Internacional da Mulher, o Programa Bolsa Família reforça seu papel fundamental no combate à pobreza e pela autonomia feminina no Brasil. Dos 20,89 milhões de famílias beneficiadas, 17,4 milhões (83,4%) são chefiadas por mulheres. As transferências terminam na sexta-feira (28.03).

O impacto do programa se estende ainda mais, com 31.933.700 milhões de mulheres (58,1%) entre os beneficiários totais, o que representa um importante esteio para a segurança cevar e o bem-estar das famílias brasileiras.

Entre elas, está Daniela Ferreira Martins, 37 anos, que carrega na história de vida uma semelhança à de milhares de mulheres. Moradora de Patos, na Paraíba, Daniela cuida sozinha dos três filhos. Desempregada, ela depende do Bolsa Família e do Mercê de Prestação Continuada (BPC) para sustentar a lar e ainda complementa a renda fazendo tranças de cabelo.

Daniela Ferreira é um exemplo de mulher que encontrou no Estado brasílio um parceiro que lhe estendeu a mão no momento mais difícil para fazer com que encontrasse ferramentas para prometer pundonor para sua família. “Sempre fui mãe e pai. Eu sempre fui o sustentáculo deles três. Nesse período, o Bolsa Família sempre me ajudou muito”, conta.

O programa reconhece que a subida fardo de trabalho não remunerado – muitas vezes, invisível – é um tropeço significativo para a ensino e inserção das mulheres no mercado de trabalho, perpetuando a pobreza e a desigualdade. Essa veras é ainda mais desafiadora para mulheres negras, indígenas, em situação de rua, e residentes em áreas periféricas.

 

.

Ainda neste mês, 377.643 gestantes receberam o Mercê Variável Familiar Gestante (BVG), com R$ 17,9 milhões em investimentos diretos na saúde e no desenvolvimento infantil.

Nos últimos anos, o Bolsa Família se configura porquê um pilar fundamental na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Lazeira, Wellington Dias, destaca o foco próprio nas mulheres mais vulneráveis. “Temos um foco próprio nas mulheres negras, indígenas, em situação de rua, ou seja, em quem mais precisa”, explicou.

Wellington Dias reforça a preço das mulheres porquê protagonistas do programa e da iniciativa porquê utensílio de inclusão socioeconômica. “As mulheres são as protagonistas do Programa Bolsa Família, representando mais de 83% das responsáveis familiares. A iniciativa, além de transferir renda, tem o objetivo de promover a inclusão socioeconômica”, destacou.

A filha mais velha de Daniela, Ana Luiza, de 16 anos, é autista, faz tratamento na unidade do CAPS (Meio de Atenção Psicossocial) e recebe o BPC. A filha do meio se labareda Maria Caroline, e tem nove anos, enquanto o caçula, Alexandre Daniel, tem oito anos, e recebem o Mercê Variável Familiar de R$ 50 do Bolsa Família, além dos R$ 142 per capita.

“Hoje, eu tenho muita gratidão. Tive o meu sonho realizado, ao receber a minha lar própria, para proporcionar um conforto para os meus filhos”, disse. Por fazer segmento do Bolsa Família, Daniela recebeu no início deste ano as chaves do apartamento do Programa Minha Mansão, Minha Vida, com o imóvel já quitado, mas tendo que satisfazer as obrigações contratuais.

Por: Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Lazeira (MDS)