Ministério da Saúde entra em alerta com Defesa Civil para socorrer vítimas das chuvas no Rio de Janeiro

Ministério da Saúde entra em alerta com Defesa Civil para socorrer vítimas das chuvas no Rio de Janeiro

 

Depois do temporal desta sexta, 22/3, que provocou a morte de sete pessoas no Rio de Janeiro, o estado permanece em situação de alerta com previsão de fortes chuvas neste término de semana. Para substanciar a resposta às situações de emergência, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde e Envolvente (SVSA), está integrado à equipe do Sistema Federalista em ação articulada pela Resguardo Social, Rede de Atenção à Saúde e Programa Pátrio de Vigilância em Saúde dos Riscos Associados aos Desastres (Vigidesastres). Além do envio de equipes para o lugar.

A previsão meteorológica indica que os níveis de chuva poderão variar de moderada a potente, por isso o cenário de riscos tende a se exacerbar. Em 2007, a Prefeitura Municipal de Petrópolis mapeou as áreas de risco da região, que estão sendo monitoradas pelas autoridades competentes.

Caso a previsão de novas chuvas no final de semana se confirme, o trabalho preventivo servirá para gerar menos impactos aos serviços de saúde e à infraestrutura urbana, prometer atendimento de saúde e disponibilizar insumos e medicamentos às vítimas.

O alerta também aponta a possibilidade de chuvas intensas em áreas do Vale do Paraíba, litoral setentrião de São Paulo, região sul e Zona da Mata de Minas Gerais, Rio de Janeiro e sul do Espirito Santo.

O Ministério da Saúde monitora os estados atingidos pelas fortes chuvas, mobilizando esforços e colocando a estrutura do Vigidesastres. A pasta envia kits de medicamentos e técnicos para seguimento dos sistemas de saúde locais, sempre que identificada a premência por eventual impacto das chuvas.

As unidades federativas podem acionar a Pasta para recebimento de kits emergenciais e esteio técnico, de pacto com a premência de cada região. O esteio é realizado mediante enunciação de emergência ou de calamidade pública pelo estado, município ou por decreto reconhecido pela Resguardo Social vernáculo. Cada kit é formado por 32 tipos de medicamentos e 16 tipos de insumos (luvas, seringas, ataduras etc.) suficientes para atender a 1.500 pessoas durante um mês. Informações sobre os kits emergenciais do Ministério da Saúde estão disponíveis na página Medicamentos e Insumos para Calamidade Pública .

Para orientar os gestores municipais e estaduais sobre a prevenção e ações pós-desastre, o Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública por Inundação traz diretrizes específicas. O ministério também disponibiliza cartilhas e guias com orientações voltadas à população por meio do site “ Saúde de A a Z ”.

Antecipando-se às situações de calamidade agravadas pelas mudanças climáticas, o Ministério da Saúde publicou no início de fevereiro uma portaria ampliando para R$ 1,5 bilhão os recursos destinados a emergências. Acesse a íntegra da Portaria GM/MS nº 3.160, de 9 de fevereiro de 2024 .

Por: Ministério da Saúde