MDIC e Ministério das Mulheres se unem para capacitar jovens mulheres em comércio exterior

MDIC e Ministério das Mulheres se unem para capacitar jovens mulheres em comércio exterior

 

Os ministérios do Desenvolvimento, Indústria, Transacção e Serviços (MDIC) e das Mulheres formalizaram nesta quarta-feira (3/4) um Tratado de Cooperação Técnica (ACT) com o objetivo de promover a inclusão de mulheres jovens em situação de vulnerabilidade social em atividades de subida qualificação no negócio exterior. O conformidade estabelece parceria estratégica para incentivar e capacitar mulheres entre 15 e 29 anos por meio da promoção de ações de gênero de ambos os ministérios, porquê iniciativas de qualificação profissional e o Programa “Elas Exportam”, do MDIC, e o Programa “Asas Pro Horizonte”, do MMulheres.

“Empresas atuantes no negócio exterior se apresentam porquê uma oportunidade para as mulheres receberem melhores salários e desenvolver maior nível de qualificação”, afirma o vice-presidente e ministro do MDIC, Geraldo Alckmin.

“É uma oportunidade para fazer a diferença na vida de jovens mulheres e produzir um caminho para que façam crescer sua renda e assim tenham maior participação na economia. Sabemos que historicamente as profissões mais muito remuneradas são ocupadas em sua maioria por homens e queremos mudar essa verdade”, completa a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves.

Entre as ações concretas que podem ser executadas a partir do conformidade, por exemplo, estão a oferta de cursos em EAD para mulheres interessadas em atuar nas funções de comentador de negócio exterior em empresas, auxiliares de despachantes aduaneiros ou mesmo capacitações para aquelas que tiverem vocação para empreender na extensão de negócio exterior.

Cenário — Há muito trabalho a ser feito para ampliar a participação feminina no setor.  Segundo o estudo “Mulheres no Transacção Exterior: Uma Estudo para o Brasil”, publicado pela Secretaria de Transacção Exterior do MDIC, as mulheres ocupam 32,5% dos empregos nas firmas que atuam no negócio exterior. Quando se avalia a proporção de empregados em relação ao porte das empresas, verifica-se que a participação das mulheres tende a ser maior nas pequenas empresas, com até 9 empregados. Já sob a perspectiva de mulheres empresárias, somente 14% das empresas exportadoras brasileiras possuem preponderância feminina em seus quadros societários, e esse percentual é maior dentre as micro e pequenas empresas.

O público-alvo dessa iniciativa leva em conta, por exemplo, dados da Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgado pelo IBGE, em 2023, segundo os quais mais de 10,9 milhões de jovens (22,3% do totalidade desse público) estão sem trabalho e sem estudar por pouquidade de oportunidades. Dos jovens que estão nesse contexto, 52% são mulheres, 61,2% são pobres e 66% são negros.

“Diante desses diagnósticos, os ministérios uniram esforços para prometer melhores oportunidades de trabalho e de empreendedorismo para mulheres brasileiras, a termo de promover maior empoderamento econômico e social”, ressalta Tatiana Prazeres, secretária de Transacção Exterior do MDIC.

Sobre o Elas Exportam
O programa, que é desenvolvido pelo MDIC em parceria com a ApexBrasil e tem ciclos semestrais, oferece mentorias individuais, oficinas e seminários para facilitar no desenvolvimento de competências e habilidades técnicas e socioemocionais necessárias à atividade exportadora.
O programa está dentro das iniciativas do governo federalista destinadas a promover ações voltadas à isenção de gênero.

Sobre o Asas pro Horizonte
Coordenado pelo Ministério das Mulheres em parceria com Ministério do Trabalho e Serviço e a Secretaria-Universal da Presidência da República, o programa Asas pro Horizonte visa ampliar a participação de mulheres jovens de 15 a 29 anos em situação de pobreza, preferencialmente mulheres negras e indígenas, em setores estratégicos do desenvolvimento econômico, porquê as áreas de exatas chamadas “STEAM”, tecnologia, vontade, infraestrutura, logística, transportes, audiovisual, ciência e inovação, com ênfase em carreiras voltadas para a sustentabilidade socioeconômica.

Além da parceria com o MDIC, estão previstos acordos de cooperação e parcerias com o Ministério de Minas e Vontade (MME), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Caixa Econômica Federalista e o Serviço Federalista de Processamento de Dados (Serpro).

Por: Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Transacção e Serviços (MDIC)