Estação Meteorológica moderniza produção de agricultores em Flores de Goiás

Estação Meteorológica moderniza produção de agricultores em Flores de Goiás

Equipamento implantado por Codevasf e Embrapa Cerrados pode beneficiar 2.500 produtores

 

Um dos melhores aliados do varão do campo é o clima. Saber com precisão quando São Pedro vai mandar chuva, a quantidade dela usada na plantação ou se o sol será de rachar aroeira é imprescindível para uma boa colheita. A inauguração de uma Estação Meteorológica no Vão do Paranã, no Nordeste de Goiás, promete modernizar a vida de 10 famílias de agricultores locais.

A iniciativa, implantada na última terça-feira (26/3), em Flores de Goiás, é mais uma lanço do projeto-piloto de rega da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na região e envolve capacitação dos produtores, atividades sociais com a comunidade sítio e o desenvolvimento de um aplicativo com dados climáticos que vai facilitar no manejo da rega. As informações coletadas pelos produtores de manga e maracujá serão fornecidas pela Estação Meteorológica. O investimento é da ordem de R$ 2 milhões.

“A inauguração dessa Estação é fruto de uma parceria da Embrapa Cerrados com a Codevasf no sentido de monitoramento dos insumos chuva e solo desse projeto por meio de um aplicativo”, destaca Andréa Sousa, secretária-executiva da Espaço de Gestão dos Empreendimentos da Espaço de Regadura e Operações da Codevasf. “É uma tecnologia que vai impactar de forma positiva a vida desses agricultores porque eles vão poder controlar e menear a lâmina d’chuva aplicada nas suas lavouras. Isso representa economia de chuva e pujança elétrica e uso eficiente desse insumo importante para a terreno”, avalia.

A expectativa é de que o aplicativo já esteja disponível dentro de três meses, fornecendo, em tempo real, dados de subida precisão para os produtores na palma da mão. O projecto é que outras duas estações meteorológicas sejam instaladas na região, nas cidades de Formosa (GO) e São João d’Associação (GO). A Estação Meteorológica instalada na dimensão rústico de Flores de Goiás vai envolver um relâmpago de 60 km, podendo atender até 2.500 pessoas.

“É uma região de grande potencial hídrico, com vários rios locais e duas barragens, logo a chuva não é um fator limitante por cá”, observa o agrônomo e Gerente de Espeque à Produção da Espaço de Regadura e operações da Codevasf, Alberto do Promanação. “Essa dimensão de Goiás é uma das mais carentes do estado, com baixos indicadores socioeconômicos, logo esse projeto vai trazer desenvolvimento, além de segurança cevar, geração de trabalho e renda para essas famílias”, elenca.

Ação social e capacitação

Tapume de 40 técnicos da Codevasf e de parceiros da realização do projeto, uma vez que Embrapa Cerrados, Secretaria de Estado de Lavradio, Pecuária e Fornecimento (Seapa/GO), Dependência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rústico e Pesquisa Agropecuária (Emater), Serviço Vernáculo de Aprendizagem Rústico (Senar), além da prefeitura de Flores de Goiás, estão envolvidos na ação. Durante a inauguração da Estação Meteorológica, localizada no terreno da Escola Rústico Municipal Rosário de Souza Ferreira, alunos do jardim de puerícia da instituição participaram de uma lição interativa sobre o equipamento.

“Muitos ficaram curiosos para saber o que era aquela engenhoca no nosso terreno, é bom a garotada entender logo cedo a preço da cultivação no seu dia a dia e saber as tecnologias que nos ajudam a interpretar o firmamento”, comenta a professora Claudeci Ferreira.

Equipamento estratégico no manejo da rega, as estações meteorológicas permitem que os agricultores desenvolvam melhor suas plantações. A tecnologia é capaz de medir a temperatura, a umidade relativa do ar e a velocidade do vento, além de medir a chuva, por meio de aparelhos uma vez que termômetro, barômetro, higrômetro e pluviômetro.

Para entender uma vez que funciona e qual a preço dessa novidade tecnologia disponibilizada na região, agricultores participarão de capacitação técnica ministrada por especialistas da Embrapa Cerrados. O par de produtores de maracujá e manga da região, Orlando e Kenia Borges aguardam com sofreguidão oriente momento. “Apesar de trabalhar no campo, sempre surgem dúvidas sobre uma vez que menear a vegetal. Esse equipamento vai nos ajudar no manejo do nosso plantio. Nossa preocupação é que a gente não perda na produção”, torce.

O produtor Jair Gabriel da Conceição Santos está otimista com a novidade tecnologia. “O uso da quantidade correta de chuva em nossas lavouras, dependendo do tipo de solo, arenoso ou argiloso, é importante. Esse aplicativo vai nos orientar nessas informações”, acredita.

Por: Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf)