Embratur leva série de documentários “Turismo Transforma” a festival de cinema em Paris

Embratur leva série de documentários "Turismo Transforma" a festival de cinema em Paris

 

O presidente da Dependência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Marcelo Freixo, participou da lisura do Festival de Cinema Brasílio de Paris, na França, levando na bagagem conteúdos especiais produzidos pela Dependência para propalar destinos nacionais que se destacam na gastronomia, história, cultura e religiosidade. A inconstância dos destinos brasileiros será conhecida pelo público europeu durante a 26ª edição do festival, do qual a Embratur é parceira há 26 anos. Essa é a primeira vez que a Dependência leva uma produção audiovisual para a mostra.

O público poderá testemunhar três dos sete mini documentários da série Turismo Transforma. Os episódios apresentados no evento irão mostrar o turismo religioso e de base comunitária, afroturismo, além da produção e calabouço turística no Brasil.

“Estamos na França, que é o país que mais emite turista europeu para o Brasil, e é muito importante substanciar a nossa cultura cá, a geração de ofício e renda no Brasil e mais: a gente está apresentando os filmes sobre o Brasil produzidos pela Embratur. É o Turismo Transforma: vai ter queijo canastra, afroturismo, Vela de Nazaré e a inconstância do Brasil”, afirmou.

Ainda segundo Freixo, “levar os documentários do Turismo Transforma para o Festival de Cinema Brasílio de Paris é uma forma de colocarmos em evidência os destinos turísticos do Brasil.”

Turismo Transforma na França
Nesta quinta-feira (28/3), os franceses puderam testemunhar o terceiro incidente da série que traz o modo artesanal de fazer o queijo canastra, em Minas Gerais, e porquê essa produção impulsiona o turismo lugar.

No sábado (30/3), serão apresentados três episódios sobre afroturismo. No primeiro, o público poderá conferir o impacto positivo desse segmento a partir da Sarau da Nossa Senhora da Boa Morte, em Cascata (BA). No segundo, ainda no Recôncavo Baiano, a produção mostra, a partir da gastronomia, a influência africana na colonização e na história da região. E no terceiro, a saída do conjunto afro Ilê Aiyê no Carnaval de Salvador e a relevância da música para a ancestralidade.

Já no domingo (31), é a vez do incidente sobre o Vela de Nazaré, a maior sarau religiosa do Pará, que remonta a história de um milagre ocorrido no Século 18. A sarau se tornou um atrativo turístico fomentando a fé e a economia do estado.

Até o próximo dia 2 de abril, as exibições, que fazem secção das ações promocionais da Embratur, acontecem fora do rotação competitivo tradicional.

Ainda no festival, o presidente Marcelo Freixo participa, nesta sexta (29), de uma roda de conversa sobre “O impacto da cultura do audiovisual no Turismo”.

Assista aos vídeos da série privativo da Embratur no link: https://www.youtube.com/playlist?list=PL5uceJeEFxmzM6trgD8dLvaM46aCxxbqN.

Filmes no festival
Nesta edição, o Festival de Cinema Brasílio de Paris apresentará 30 filmes em cinco sinais: Competitiva, Hors-concours, Documentários, Sessão Escolar e Homenagem a Antonio Pitanga (premiado ator e diretor do cinema preto brasílio), com quem Freixo se encontrou na lisura do evento, que acontece no L’Arlequin, cinema tradicional modernista de rua no bairro de Saint-Germain-des-Près.

O festival, realizado pela empresa Jangada, da carioca Katia Adler, reúne, anualmente, mais de 5 milénio espectadores, e é a principal vitrine da cinematografia brasileira na Europa. O evento também é espargido por ajudar a formar um público gálico enamorado pelo cinema brasílio e pela nossa cultura.

Na ocasião, serão apresentados seis longas com Antônio Pitanga, entre eles “Na Boca do Mundo”, primeira produção dirigida por ele, o clássico “Barravento”, do Cinema Novo, de Glauber Rocha, e “Nosso Sonho”, o filme pátrio mais visto de 2023, além de um trecho de “Malês”, novo longa de Pitanga porquê diretor, ainda em finalização.

França-Brasil
De concórdia com o Portal de Dados da Embratur, a França foi o sexto maior emissor de turistas para o Brasil no mundo e o primeiro da Europa em 2023. No ano pretérito, o Brasil recebeu 187.559 turistas franceses. O número é pouco mais de 43% maior do que o registro de 2022, quando o totalidade de entradas foi de 130.910. Aliás, no primeiro mês de 2024, a ingressão dessa parcela de turistas internacionais foi de 15.509, um aumento de 29,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Para 2024, estão previstos 616.125 assentos em 1.953 voos vindos da França. O número representa, novamente, um aumento de 9,2% no número de assentos e de 7,2% no de voos. Eles são operados pelas empresas Air France (1.251), Latam (359) e Azul (343, um desenvolvimento de 61% em relação ao ano pretérito). Esses voos irão pousar nos aeroportos de Guarulhos (55,7%), Galeão (18,7%), Viracopos (17,6%) e Fortaleza (8%).

Por: Dependência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur)